PEDAGOGIA SOCIAL

A palavra Ecologia vem do Grego oikos (casa) e logos (palavra, sabedoria); é a sabedoria de cuidar da casa. É uma palavra relativamente nova porque somente a partir dos anos 60 a consciência da necessidade de cuidar melhor da nossa casa se tornou mais forte.


Cuidar da nossa casa é cuidar do ambiente em que vivemos, que vai do mais restrito – a nossa própria casa, o bairro, comunidade – até o mais amplo – o país, o continente e o mundo.

 

O avanço tecnológico das últimas décadas no campo da comunicação (TV, internet) e a interdependência mundial na economia fizeram do planeta terra uma “aldeia global”, termo lançado por Marshall McLuhan há mais de duas décadas. Hoje em dia sabemos que temos “só uma terra”, que possui apenas uma película muito fina de vida, a biosfera, formando um sistema integrado, ameaçado pela atuação do ser humano. Mesmo que esta ameaça continue existindo, a consciência ecológica está presente no mundo inteiro; Ecologia virou matéria obrigatória em escolas e universidades e as ações de grupos ambientalistas são universalmente reconhecidas e apoiadas.


A questão da ecologia tem a ver com a história da emancipação do ser humano. O surgimento da ciência a partir do século 15 (Galileo, Newton) foi possível, porque o ser humano pôde se colocar frente ao mundo externo, e considerar a terra como objeto a ser analisada, entendida, subjugada e explorada. Graças a este passo na emancipação, as ciências se desenvolveram e a tecnologia fez avanços cada vez maiores. Porém, esta é uma consciência física que superou a consciência da vida, pondo em risco a ‘casa’, o ambiente em que vivemos.


Assim como os nossos pais e avós tinham uma consciência tênue da ecologia ambiental, assim nós temos ainda uma consciência incipiente de uma outra ecologia, a ecologia social, a sabedoria de cuidar da nossa ‘casa’ na sociosfera: o desenvolvimento do equilíbrio auto sustentável na interação entre as pessoas, do mais restrito até o mais amplo: indivíduo, grupos, iniciativas, organizações, sociedade até a ‘aldeia global’. Na nossa vida, no nosso trabalho a dificuldade de conviver e trabalhar juntos se expressa na forma de atritos e conflitos. A mídia nos traz diariamente imagens de guerra, ódio, fanatismo, exploração, abuso de poder, criminalidade e diferenças sociais. Nos sentimos impotentes tanto no micro como no macro social. Lex Bos, no seu livro “Nada a ver comigo”, mostra como os dois estão interrelacionados e como o desenvolvimento social depende do desenvolvimento de cada indivíduo.


A Ecologia Social começa com o desenvolvimento de uma compreensão apropriada da vida e dos processos de desenvolvimento.

 

“Quem quer atuar na vida, deve primeiro conhecer suas leis” diz Rudolf Steiner.


Durante séculos o sistema social era fortemente determinado pela tradição, religião, relações de família, padrões hierárquicos. Pelo processo de emancipação o ser humano quebrou com estes fatores externos. De onde ele encontra agora as forças que o permitem construir a partir de si o novo social? Para isto é necessário que surja uma nova consciência, uma nova maneira de pensar, que vai além do pensar mecanicista e orgânico e que inclui o pensar social.


O foco da Ecologia Social é a qualidade social, que resulta da interação entre o indivíduo, grupos, instituições e o seu ambiente social como base para desenvolvimento social. Portanto, a pergunta central é: quais condições precisam ser criadas a cada nível (indivíduo, grupo e instituições) para que possam participar e contribuir de forma saudável para o desenvolvimento do todo (o ambiente social) e, de outro lado, quais condições devem ser criadas a nível do todo, para que se torne possível o desenvolvimento saudável de cada parte.


Esta é a tarefa do ser humano para os dias de hoje: desenvolver a partir de si e em liberdade as forças internas que levem a uma vida social sustentável. Este é o papel da Pedagogia Social de base antroposófica, desenvolvida por Bernard Lievegoed e trazida para o Brasil por Lex Bos. A sua contribuição não está só nos conceitos de desenvolvimento de homem e de mundo, mas também na sua aplicação prática para nossa vida: com o outro, no grupo, nas iniciativas e organizações ou na sociedade. Porque Pedagogia Social é lidar consigo, com o outro e com as perguntas de tal forma que o seu agir possa contribuir para o saudável desenvolvimento das condições sociais.

 

Assim a Pedagogia Social é o processo, cujo resultado é a Ecologia Social.

 

Por Hermanus J. Meijenrik, consultor do Núcleo Maturi - Ecologia Social de São Paulo e membro da Associação de Pedagogia Social de Base Antroposófica no Brasil

 

barracores